HISTÓRIA

O município de Barro Duro foi originado através do povoado Cantinho por volta de 1924, teve como primeiros moradores os Senhores: João Pinheiro, Florêncio da Luz, Manoel Soares Teixeira e Raimundo Borges Pimentel. 
Em 1934, foi elevado a categoria de povoado, devido a desentendimentos entre os velhos moradores. O sr. João Pinheiro, acreditando no desenvolvimento da povoação, doou uma faixa de terras distantes do Povoado Cantinho, foi construída uma capela e originou-se daí, a futura povoaçãoque pertencia ao município de Água Branca. A feira realizada aos domingos tinha grande movimento, seu primeiro comerciante foi o sr. Aristóteles Tavares, seguido do sr. Gonçalo Ayres Cavalcante.Como povoado de Água Branca elegem-se seus representantes na Câmara de Vereadores daquela cidade, os srs. Francisco Tavares de Oliveira e Oscar Ayres Matos. O movimento de emancipação política teve como líderes os srs. Gonçalo Ayres Filho, Francisco José de Carvalho, Joaquim Gomes, Benedito Alves da Luz, Francisco Tavares de Oliveira e Oscar Ayres Matos. 
Foi elevado à categoria de município, por força da lei nº 2360 de 05-12-1962, instando-se oficialmente a 30 de dezembro do mesmo ano, conservando o nome de Barro Duro. 

Elevado à categoria de município com a denominação de Barro Duro, pela lei estadual nº2360,de 05-12-1962, desmembrado de Água Branca. Sede no atual distrito de Barro Duro ex-povoado. Constituído do distrito sede. Instalado em 30-12-1962.

 

Na formação étnica de Barro Duro, de fato, vê-se a presença cearense. Talvez isso explique o humor sarcástico do barrodurense e sua paixão pela galhofa. Em 1964, ocorreu a primeira eleição no novo município e o prefeito eleito foi o senhor Francisco Tavares.
 
Joel Rodrigues foi o segundo prefeito eleito, homem habilidoso politicamente, dizem que foi o mentor de diversos acontecimentos políticos na cidade. Ele próprio foi prefeito mais duas vezes. O comerciante João Catumbi foi o terceiro prefeito eleito de Barro Duro.
 
Depois tivemos o governo do senhor Fransquim (Chico Enoque), que trouxe para lhe suceder o primo de seu amigo Joel, o militar Elói Pereira. Para muitos, este é o mais notável político barrodurense de todos os tempos. Homem habilidoso na arte de convencer, possui ética flexível e tem pleno domínio prático dos ensinamentos políticos de Maquiavel. 
 
Depois dele tivemos o prefeito Antônio Pessoa; em seguida, Direnice Melo, esposa do prefeito Elói, mais uma vez Joel Rodrigues; Francisco Pereira por dois mandatos; Deusdete Lopes e novamente eleito Francisco Pereira.
 
Paralelo à vida política tem-se um povo alegre, que busca em qualquer lugar do país meios para o sustento digno da família. Barro Duro chega a meio século de emancipação com muito a ser feito no tocante a serviços públicos. Às vezes, temos a impressão ingênua de que a vida está completa.
 
Em dezembro os encontros dão o tom colorido da emoção. A gente fica com aquela sensação de que é possível melhorar a vida das pessoas daqui. Nossa terra querida onde até os mentecaptos cantam e de onde jamais tencionam sair. Salve Barro Duro de nosso coração. “Os poetas esquecidos” jamais esquecem de ti, “joanino torrão”.